Campinas receberá R$ 43 milhões para construção e reformas na Saúde

Matéria publicada pelo SECOM

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette, participou nesta sexta-feira, 1º de abril, às 10h, da assinatura dos editais de licitação das obras do programa “Saúde em Ação”, na Sala Azul da Prefeitura de Campinas. Os documentos foram assinados pelo governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin. Os secretários de Saúde de Campinas, Carmino Souza, e do Estado, David Uip, estiveram presentes, além de prefeitos da RMC, secretários municipais, vereadores e deputados. 

Nesta primeira fase, o programa terá investimento de R$ 98,4 milhões, do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), para a construção de 26 unidades básicas de saúde em Campinas e nas cidades da Região Metropolitana. Esse valor inclui a construção e os equipamentos das unidades. A publicação no Diário Oficial do Estado será neste sábado, 2 de abril.

A regionalização dos investimentos em saúde deve ser fortalecida. É fundamental juntar forças para oferecer os serviços à população. Esses investimentos vão permitir que todos os municípios tenham reforço na saúde”, disse o prefeito Jonas Donizette.

O governador Geraldo Alckmin explicou que o BID geralmente financia obras viárias e, desta vez, o investimento é em saúde. “Escolhemos fortalecer o atendimento de saúde básica e destacar a regionalização”, disse Alckmin.

Na primeira etapa serão lançados os editais para a construção de três unidades básicas de saúde (UBS) em Campinas e 23 unidades em 14 cidades da RMC: Artur Nogueira, Cosmópolis, Holambra, Hortolândia, Indaiatuba, Itatiba, Jaguariúna, Monte Mor, Morungaba, Nova Odessa, Pedreira, Santa Bárbara d´Oeste, Sumaré e Vinhedo.

As três unidades básicas de saúde de Campinas serão o Centro de Saúde Perseu Leite de Barros, Centro de Saúde Santos Dumont (Jd. Itatinga) e o Centro de Saúde Satélite Íris I.

No total, abrangendo as duas fases do programa, Campinas terá sete novas unidades de saúde e 13 reformas. Na RMC, o projeto prevê 34 novas unidades básicas, além da reforma em outras 39. Os investimentos globais. Nas duas fases, serão de R$ 43 milhões para Campinas e R$ 157 milhões para a RMC.

O programa “Saúde em Ação” é uma parceria do governo do Estado de São Paulo com o BID. O objetivo é a qualificação da rede de saúde com financiamento do BID. Foi criado em 2014 e tem cinco anos para ser concluído.“Estamos diante de um dos melhores projetos de saúde pública. É piloto e pode ser referência para o País”, disse o secretário de Saúde do Estado, David Uip.

Obras

No que diz respeito a Campinas, as licitações assinadas nesta sexta-feira referem-se às três unidades básicas de saúde que serão construídas: CS Perseu Leite de Barros, CS Santos Dumont (Jd. Itatinga) e CS Satélite Íris I. As demais autorizações para abertura de licitação serão firmadas posteriormente. No caso das reformas, a assinatura ocorrerá logo após a conclusão dos projetos.

Cada unidade básica de saúde, entre construção e equipamentos, terá um custo de R$ 3,7 milhões. O prazo previsto para a conclusão das obras é de 15 meses após o início.

Depois da publicação do edital, neste 2 de abril, as empresas interessadas terão 45 dias para estruturar as propostas. A expectativa é de que as obras sejam iniciadas no próximo semestre.

Em Campinas, além dos três editais assinados nesta sexta-feira, ainda constam as construções dos outros quatro centros de saúde programados para a segunda fase: Satélite Íris 2, Nova América, DIC VI e Jardim Florence.

As 13 reformas serão realizadas nos Centros de Saúde São Quirino, Esmeraldina, Jardim Aeroporto, São José, Integração, Parque Floresta, Jardim Conceição, Costa e Silva, São Cristóvão, Ipaussurama, Boa Vista, além dos CAPS Sul/Sudoeste e Integração (Noroeste).

01/04/2016 – 17:12

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *